Expedição Alaska – Chegamos ao Peru

06 maio 2015 Expedição Alaska – Chegamos ao Peru

Sair da cidade de La Paz foi uma tarefa muito difícil, o transito é um caos, não tem sinalização nenhuma, muita gente andando na rua, estradas esburacadas, demoramos 1 hora apenas para sair da cidade.

Seguimos rumo a Copacabana que é a última cidade da Bolívia antes de chegar no Peru. Para chegar em Copacabana cruzamos o Lago Titicaca em uma pequena balsa, travessia rápida e tranquila, cerca de R$ 10 por moto. O lago é um show a parte, em alguns momentos não conseguimos ver aonde terminava de tão grandioso.

Poucos km antes da fronteira com o Peru nos deparamos com um bloqueio na estrada, alguns Bolivianos fecharam a estrada com pedras e estavam fazendo um protesto querendo melhorias na educação. Esperamos um pouco, conversamos com eles e nos deixaram passar na boa.

A saída da Bolívia foi muito tranquila, pouca fila e processo rápido, tanto a migração como a Aduana, bem diferente da entrada por Corumbá.

Para entrar no Peru a migração foi bem rápida e simples, já Aduana deu um pouco mais de trabalho. O Oficial logo perguntou se a moto estava em nosso nome, dissemos que sim, se tínhamos seguro, dissemos que sim, se tínhamos o SOAT (seguro obrigatório para estrangeiros em veículos), dissemos que não, pois só é possível tirá-lo no Peru. Essa foi a desculpa que ele conseguiu para nos arrancar dinheiro. Não tem nenhuma empresa que emiti o SOAT na fronteira, apenas em Puno, a 130 km dali. Ele sugeriu que um de nós fosse até lá, tirasse o SOAT para os dois e voltasse para então depois os 2 seguirem viagem. Conversamos um pouco e ele resolveu dar a entrada nas duas motos, mas claro que depois pediu uma colaboração como se estivesse fazendo um favor para nós, deixamos cerca de R$ 30 reais e seguimos viagem.

Chegamos em Puno que fica a beira do Lago Titicaca, uma cidade pequena que serve como base para os Tours no lago. Lavamos as motos, tiramos o SOAT em uma seguradora e fomos descansar.

No dia seguinte seguimos para Cusco, estrada boa, bem pouco movimentada, mas foi o dia que cruzamos mais motos viajando, fizemos 390 km em 5 horas. Estávamos apreensivos pois achamos que a cidade teria um transito caótico igual a La Paz, mas fomos surpreendidos com uma entrada tranquila e uma cidade com um centro histórico muito charmoso.

Vamos passar dois dias fazendo turismo na cidade, conhecer os arredores com as construções Incas e claro, Machu Picchu.

Eduardo Generali

Desde 2013, Eduardo é responsável pela divisão de Entretenimento da MotoAtacama. Quando não está na estrada guiando tours, está elaborando novos roteiros, ou ministrando cursos de pilotagem ON / OFF road.

Fale pelo Whatsapp